Crítica: O Tempo e o Vento (2013)

o-tempo217 de Setembro de 2013

Temos aqui mais uma adaptação literária sendo que dessa vez o “adaptado” é um dos maiores escritores que esse país já teve: Érico Veríssimo.
A obra original é uma série de sete livros, dos quais não cheguei a ler nenhum, por isso vou falar apenas do filme como obra cinematográfica e não como adaptação, que por sua vez é baseada apenas nos dois primeiros volumes da série intitulados O Continente vol. 1 e O Continente vol. 2.
Logo de cara já posso dizer que esse filme não me trouxe vontade alguma em conhecer os livros aliás, muito pelo contrário, só me deixou mais interessado ainda em nunca nem sequer chegar perto deles!
É triste mas é a mais pura verdade, O Tempo e o Vento (2013) não conseguiu nem bater na trave.
A direção ficou por conta de Jayme Monjardim, que está muito mais acostumado com a linguagem das novelas do que com o cinema. O Tempo e o Vento não se parece com nada a não ser uma novela com duas horas de duração.
A história se passa na recém-fundada Santa Fé do século XIX e tem como cenário as guerras vividas entre os Repuplicanos e os Parlamentaristas. Ainda temos aqui a oposição das duas grandes famílias Terra-Cambará e os Amaral que disputam o controle de Santa Fé. Com todo esse cenário, o filme escolhe adotar a narrativa do ponto de vista de Bibiana, vivida por Fernanda Montenegro, que durante quase todo o filme narra as histórias de seus antepassados até chegar em sua própria. A mesma personagem ainda é vivida em sua época de juventude por Marjorie Estiano, que deve ter ganho o dinheiro mais fácil de sua vida ao participar desse filme, visto que não precisou de fato atuar em nenhuma das cenas em que apareceu.
Entre o elenco principal ainda temos a presença de Thiago Lacerda que interpreta Capitão Rodrigo, supostamente o herói da trama. Todo o cenário interessante da história criado tão belamente por Veríssimo é sumariamente deixado de lado para se focar em romances bobinhos que se encaixariam com mais facilidade na novela das oito, e isso foi um pouco frustrante para mim.
Ainda há a presença de alguns personagens bem interessantes que por um instante me fizeram acreditar que o filme teria lá no fundo o seu valor, como foi o caso do índio Pedro e de sua amante Ana Terra, porém, como mencionei no começo desse texto, não chegou nem a bater na trave.
Se você está entre a multidão de admirados da obra de Érico Veríssimo recomendo que dê uma conferida no filme, mas vá com as expectativas bem baixas pois caso você não seja lá muito chegado em novelas a chance de sair do cinema desapontado é enorme.
De resto, posso dizer que a única coisa que se aproveita aqui é a atuação de Fernanda Montenegro, que me faz até pensar que ela aceitou participar desse filme porque perdeu uma aposta, está pagando promessa pra algum santo ou coisa do gênero afinal, qual seria a razão para alguém com o talento dela se juntar a essa equipe e “cometer” esse filme?
O Tempo e o Vento está previsto para estrear dia 20 de Setembro, confira a agenda em sua cidade!

NOTA:

Vale o Ingresso, a Pipoca e Quero Ver de Novo
Vale o Ingresso e a Pipoca
Vale o Ingresso
Vale o Ingresso no Dia da Promoção
Teria Sido Melhor Ir Ver o Filme do Pelé

Post Author: Lucas Mota

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *