Crítica: Escola de Rock (School of Rock, 2003)

Protagonizado por Jack Black, vocalista do Tenacious D e amigo xarope de Rob Gordon em Alta Fidelidade, Escola de Rock — school of rockdirigido pelo diretor dos aclamados Before Sunrise/ Before Sunset/ Before Midnight, que eu nunca vi, não quero ver e, pelo amor de Deus, não tem condição de um filme com um nome desses ser bom — é sobre o roqueiro Dewey Finn, que mora com um amigo-ex-roqueiro-agora-cidadão-de-bem e a namorada desse (uma chatinha de galochas) e é demitido de sua banda pouco antes da Batalha de Bandas. Colocado na parede pela namorada do amigo por não pagar o aluguel, Dewey se passa por ele como professor substituto numa escola preparatória para arranjar grana pro aluguel, enquanto procura músicos pra formar uma banda para disputar o concurso.

Depois de assistir a uma aula de música de seus alunos e ver que os meninos tocam muito, Dewey resolver forjar um “projeto” para os meninos, formando com eles uma banda de rock para tentar ganhar o concurso. Depois disso, só assistindo – não dá pra perder a cena da Batalha de Bandas, que é fantástica.

Todo mundo já deve ter assistido Escola de Rock em algum momento da vida. É um filme que chama atenção seja pela participação de Jack Black – não tem como não gostar desse cara – ou pela temática Rock n’ Roll. Como não gostar? O elenco era formado por músicos de verdade (essa receita parece dar certo, é só lembrarmos do ótimo The Blues Brothers), todos por volta dos 10 anos de idade e a maioria sem experiência em cinema ou TV. Pros que gostam de rock, a trilha sonora é impecável, com músicas do The Who, Led Zeppelin, Black Keys, The Doors e outros, e do próprio Jack Black, sem contar o cover do AC/DC feito, no filme, pra banda concorrer na Batalha. Pra quem gosta de filmes assim, não tem como não lembrar dos já citados Alta Fidelidade, The Blues Brothers (incontáveis artistas do blues e do soul nos dois filmes) e Tenacious D (uma história fake da banda, com o Dave Grohl como o Belzebu, Dio e Meat Loaf).

Escola do Rock foi bem lembrado esse ano na Internet depois que Jack Black postou em seu Facebook uma foto da reunião do elenco em comemoração aos 10 anos de lançamento do filme. É, cara, já faz dez anos!

 

school of rock 2013

 

 

NOTA:

Vale o Ingresso, a Pipoca e Quero Ver de Novo
Vale o Ingresso e a Pipoca
Vale o Ingresso
Vale o Ingresso no Dia da Promoção
Teria Sido Melhor Ir Ver o Filme do Pelé

Post Author: Anna Raíssa

2 thoughts on “Crítica: Escola de Rock (School of Rock, 2003)

    Tiago

    (setembro 25, 2013 - 10:32 pm)

    Já devo ter assistido esse filme umas 20 vezes e ainda não enjoei. Bom demais.

    Jow

    (setembro 26, 2013 - 4:54 pm)

    Taí um filme que merecia uma continuação tremendona! *-* Embora, do Mr. Black, o que mais me divertiu tenha sido Tenacious D. AHUAHUA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *